terça-feira, 26 de junho de 2012

Sexo anal. Por que os homens gostam tanto? 7 mitos e algumas verdades

Comments
Outro dia estava eu navegando pela web quando me deparei com um artigo bem interessante no site: 
pergunte ao urso sobre a duvida de uma leitora a respeito desse "tabu" e resolvi postar aqui no blog.
Espero que gostem.

Mitos e algumas verdades sobre sexo anal

Querido urso, sempre tive dúvida com relação ao sexo anal. Já ouvi meninas dizendo que dói e sangra, que não é bom. Porém outras dizem o contrário. Gostaria de saber a verdade e também se os homens gostam mais. Já ví vários vídeos e procurei um guia a respeito, mas não encontrei. Por que os homens gostam tanto de sexo anal? beijo! Má



Olá Má, por incrível que pareça essa dúvida sobre o que leva os homens a gostarem tanto de sexo anal, por mais batida que seja, continua invadindo a minha caixa de e-mails praticamente todos os dias. Imagino que isso seja fruto da cobrança feita pela maioria dos homens. Acredito que quase nenhuma mulher escapou de ser uma possível vítima da cobra caolha.
Algumas questões devem ser levantadas antes de te explicar porque gostamos tanto da “porta dos fundos”.

Mitos e algumas verdades sobre sexo anal

Mitos e algumas verdades sobre sexo anal

“Todo homem gosta de sexo anal”

É a mesma coisa que afirmar que todas as pessoas do mundo gostam de chocolate, como generalização é burra, mas devemos admitir que a maioria não dispensa um bombom. Já ouvi amigos dizendo que não é fundamental. Dica: se ele não gosta, não dê para ele, seria como obrigar alguém que não gosta de dirigira a correr na Fórmula 1. Desastre na certa!

“Se ele comer minha bunda vai achar que sou puta”

Olha, não vou negar que isso pode acontecer, afinal de contas, idiotas existem em todo lugar e não há uma placa os identificando para evitar que você saia com eles. Porém, se você sai com um sujeito dessa categoria, merece mesmo ter problemas. Um sujeito normal irá achar normal.

“Se algo der errado ele irá ficar com nojo de mim”

O “se algo der errado” é algo que temos que lidar, a vida é cheia de surpresas e nem sempre todas são agradáveis, mas é isso aí. Vira e mexe temos nosso bilhete premiado. Mas, e daí? Você acha que o sujeito não sabia onde estava se metendo? Tem que estar pronto para emergências.

“O sujeito é um gigante. No meu não!”

Tirando os centauros (figuras míticas, metade homens, metade cavalos), o restante não faz a menor diferença. Por incrível que pareça, essa é uma situação onde o jeito é mais importante que o tamanho. Quem sabe, sabe. Quem não sabe, mesmo com um documento pequeninho provocará estragos.

“Dar a bunda é pecado”

Não existe pecado do lado debaixo do Equador…

“Fazer sexo anal é humilhante”

Não sei de onde tiram pérolas como essa… Sexo deveria ser encarado como uma brincadeira entre dois ou mais adultos, não tendo preconceitos e pudores entre os que brincam. Nada entre quatro paredes deveria ser humilhante. Como diria Nelson Rodrigues, se conhecêssemos a intimidade dos outros, nem nos cumprimentaríamos.

“Se eu der não vou mais segurar nada, ficarei frouxa”

Com certeza pode rolar um afrouxamento do esfíncter, funciona assim, se você não estiver motivada, relaxada e lubrificada, pode acontecer sim. Movimentos muito vigorosos também podem dar a sensação temporária de alargamento, mas o músculo do ânus não perde a capacidade de contração e relaxamento.

Por que os homens adoram sexo anal?

Desafio

Homens são crianças em tamanho família, portanto têm obsessão por aquilo que não lhes pertence. Como muitas mulheres fazem o maior doce para dar a bunda, isso só os estimula a querer mais. Ter aquilo que não deixam é um incentivo, praticamente, um desafio. Devo avisar, não adianta fazer cu doce, não sou diabético.

Dominação

Toda relação sexual é composta por pessoas que só podem ter duas características principais: dominante e dominado. Essas personas sexuais podem variar de acordo com o tempo ou com o acontecimento de algum evento relevante. Em uma relação equilibrada é interessante que os dois perfis estejam presentes, o que ocorre, na maioria das vezes seguindo nossas influências culturais. O homem acaba por exercer o papel de dominador e a mulher de dominada. Antes que as pedras comecem a ser atiradas pelas leitoras enlouquecidas, quero deixar claro, estou falando sobre comportamento sexual, o que não tem nada a ver com comportamento social.
Como o sujeito se sente dominante? Da mesma forma que todo ditador, transgredindo, quebrando regras, demolindo tabus. Em nossa sociedade sexo anal ainda é muito mistificado, da mesma forma que engolir porra. O brasileiro gosta de sacanagem, isso é fato, mas considera muitas perversões prejudiciais. Comer uma bunda dá a impressão ao sujeito de que é ele quem manda. Isso é muito antigo, durante os anos do Império Romano muitos imperadores demonstravam poder dessa forma, não importando se o “enrabado” era mulher ou homem. Tudo para mostrar força. Ainda bem que isso mudou, hoje podemos apenas exibir um carro ou outro objeto de desejo! Detestaria ter que comer outro sujeito!

Prazer

Quando bem feito e feito por quem entende, sexo anal é muito prazeroso, posso afirmar, para ambos! Quanto mais é feito, menos dor a mulher sente. É apertado? É e não é. Como lubrificação é essencial, fica meio escorregadio, portanto não imagine você que é o lugar mais apertado do mundo. Quanto maior for o bilau, menor a sensação de aperto. O momento mais legal do sexo anal acontece quando a mulher tem um orgasmo e você está lá atrás. Rola uma vibração muito bacana que é impossível de se obter de outra forma. As paredes do fiofó se contraem involuntariamente e produzem um efeito de sucção.

Método contraceptivo

Alguns homens consideram o sexo anal o método contraceptivo mais seguro que há. Particularmente, acho bom evitar a prática sem camisinha por diversos motivos sendo higiene o menor deles e a possibilidade da transmissão de HIV o maior.
Bom, acho que é isso aí, espero ter explicado como você gostaria. Sexo é muito bom, muito melhor se for feito com quem você ama, o que não quer dizer fazer sempre do mesmo jeito. Variar entre o estilo “amorzinho” e o “hardcore” é bacana. Por isso é importante que aconteça um diálogo aberto a esse respeito. Mesmo quem adora levar uns tapas e ser chamada de vadia pode ser que esteja num dia de cafuné, preferindo ser chamada de amor.
Até mais!